Como emagrecemos?

Para entender como emagrecemos é importante lembrar que emagrecer não é simplesmente perder gordura.

Como emagrecemos

O tecido adiposo é o principal reservatório energético do organismo. Localizados em diversas regiões do organismo envolvendo, ou mesmo se infiltrando em, órgãos e estruturas internas, o Tecido Adiposo Branco oferece proteção mecânica contra choques e traumatismos externos, permite um adequado deslizamento entre vísceras e feixes musculares, sem comprometer a integridade e funcionalidade dos mesmos.

O excesso no consumo alimentar gera a produção e o acúmulo de gordura na forma de triacilglicerol, nas  células dos adipócitos, ou seja, se as necessidades energéticas de uma pessoa forem atendidas e mesmo assim exista o consumo de alimentos além delas, isso irá gerar ganho de peso e aumentar o estoque no tecido adiposo.

A metabolização de gorduras é dependente de dois processos fisiológicos: Lipólise e Oxidação.

Etapa 1 – Quebra (Lipólise)

A lipólise é a quebra dos triglicerídeos (gordura) em ácidos graxos e glicerol pela ação de enzimas, onde uma das essenciais é a lipase hormônio sensível.

A ativação da lipase hormônio sensível ocorre quando hormônios como adrenalina e glucagon se ligam aos seus receptores na membrana do tecido adiposo e ativam a proteína G, que por sua vez estimula a adenilato ciclase a produzir o AMP cíclico, e assim, ativar a Proteína quinase A (PKA), que é a responsável por estimular a lipase hormônio sensível.

Após ocorrer a lipólise e os ácidos graxos serem liberados para o sangue a albumina os carrega até a célula muscular para serem oxidados nas mitocôndrias, contudo, para entrar nas mitocôndrias o ácido graxo precisa ser ativado, ou seja, ele precisa ser convertido em acil-coa graxo e isso ocorre pela ação da enzima acil-coa sintetase (ACS).

Etapa 2 – Eliminação (Oxidação)

Ao entrar nas mitocôndrias, o acil-coa graxo deve ir para a matriz mitocondrial, pois é onde ocorrerá a oxidação, e isso é feito através da enzima carnitina palmitoil transferase-1 que adiciona carnitina ao acil-coa graxo transformando-o em acil-carnitina graxo o que permite sua entrada para a matriz mitocondrial através da proteína transportadora translocase.

Na matriz mitocondrial a enzima carnitina palmitoil transferase-2 retira a carnitina do acil-carnitina graxo levando novamente a formação do acil-coa graxo, que agora poderá passar pela beta-oxidação, que é o processo no qual ocorrerá a formação do acetil-coa. Esse processo é importante, pois, no Ciclo de Krebs só entra o acetil-coa.

No Ciclo de Krebs ocorre a oxidação da molécula de acetil-coa produzindo hidrogênios que através do NAD (nicotinamida adenina dinucleotídeo) e FAD (flavina-adenina-dinucleotídeo) são levados até a cadeia transportadora de elétrons. A importância dos hidrogênios é que eles possuem os elétrons (contêm a energia). 

Os elétrons são utilizados na Cadeia Transportadora de Elétrons onde passam pelas proteínas citocromos a fim de formar o ATP. Temos ainda no final da via o Oxigênio (O2) aceitando os prótons H+ e formando água.

É através desse processo que eliminamos do organismo os ácidos graxos, moléculas que formam os lipídeos e nosso tecido adiposo, o que implica no emagrecimento saudável e consistente quando associada a uma dieta rica nutricionalmente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima